mooji

Anthony Paul Moo-Young nasceu no dia 29 de janeiro de 1954 em Porto Antônio, Jamaica. Ele viajou para Inglaterra em 1969 afim de se juntar à sua mãe em Brixton, Londres. Ele trabalhou por muitos anos como artista de rua fazendo retratos no centro de Londres, depois como pintor, fazendo vitrais e como professor. Ele era bem conhecido como 'Tony Moo' mas agora é afetuosamente conhecido como 'Mooji'* por muitos buscadores e amigos.

Em 1987, um encontro por acaso com um jovem místico Cristão estava por ser um breve mas decisivo encontro que mudaria a vida de Mooji. Isso o levou, através da oração, à experiência direta do Divino dentro de Si. Com o despertar de sua consciência espiritual, uma profunda transformação interna deu-se início que desenrolou-se na forma de muitas experiências milagrosas e 'insights' místicos. Ele sentiu um forte vento de mudanças soprar através de sua vida oque trouxe consigo uma profunda urgência de entregar-se a Deus completamente. Pouco tempo depois ele terminou seu trabalho como professor, saiu de sua casa e deu início a uma vida de quieta simplicidade e entrega a vontade de Deus conforme se manifestava espontâneamente dentro de si. Uma profunda paz adentrou o seu ser. E nunca o deixou.
Ele viveu por alguns anos praticamente sem nenhum centavo, mas constantemente absorto na felicidade interna, contentamento e meditação natural. A graça manifestou-se na forma de sua irmã, Julienne, quem carinhosamente acolheu Mooji em sua casa e o ofereceu o tempo e o espaço que ele tanto precisava para florescer a espiritualidade, sem as pressões e demandas da vida externa. Mooji se refere a esse período de sua vida como sendo seus 'anos selvagens', e fala profundamente de ter estado 'sentado no colo de Deus'. Em muitos aspectos esses tempos não foram nada fáceis, no entanto não há traço algum de remorso ou arrependimento em sua voz quando ele narra tais eventos. Pelo contrário, ele fala dessa fase de sua vida como sendo ricamente abençoada e abundante em graça, confiança e devoção amorosa.

No final de 1993 Mooji viajou a Índia. Ele desejava visitar Dakshineswar em Calcutta onde Sri Ramakrishna, o grande Santo Bengali havia vivido e ensinado. As palavras de Ramakrishna foram uma fonte de inspiração e encorajamento para Mooji nos primeiros anos de seu desenvolvimento espiritual. Ele amava profundamente o Santo, mas como o destino ditaria, ele não iria à Calcutta. Enquanto em Rishikesh, um lugar sagrado ao pé dos Himalayas, ele estava por ter um outro encontro pré-destinado. Desta vez com três devotos do grande Mestre Advaita Sri HWL Poonja, conhecido por muitos de seus devotos como 'Papaji'. O convite insistente dos devotos para que Mooji retornasse com eles afim de que encontrasse o Mestre causou-lhe uma profunda impressão. Ainda sim ele prorrogou a visita a Sri Poonja por duas semanas inteiras, escolhendo primeiramente visitar Varanasi, a cidade sagrada.

Finalmente em novembro ele viajou para Indira Nagar em Lucknow para encontrar Sri Poonja. Isto estava por ser uma auspiciosa e profundamente significante experiência em sua jornada espiritual. Ele sentiu isso ser sua boa sorte; ele havia encontrado um Buddha vivo, um Mestre plenamente iluminado. Ele veio gradualmente a reconhecer que Papaji era seu Guru. Mooji ficou com Papaji por muitos meses. O Mestre puxou o que ainda restava de sua mente para o vazio da Fonte. Com a benção de seu Mestre, ele viajou até Sri Ramanasramam em Tiruvanamalai. Este é o ashram ao pé de Arunachala, 'O monte de Fogo', onde Sri Ramana Maharshi*, o 'Santo de Arunachala', guru de Sri Poonja, havia vivido e ensinado. Mooji se sentiu em casa e muito feliz em Tiruvanamalai.

Ele ficou lá por mais ou menos três meses antes de voltar a se sentar aos pés de Papaji uma vez mais. Uma semana mais tarde ele recebeu notícias de Londres que seu filho mais velho havia morrido repentinamente de pneumonia. Mooji retornou à Londres. A beatitude dos anos anteriores abriram caminho para um profundo vazio e silêncio interior através da Graça e Presença de Sri Poonja. Papaji havia lhe dito: “Se você deseja ser um com a Verdade, 'você' deve desaparecer completamente.”

Mooji estaria por visitar Papaji novamente em 1997. Seria seu último encontro com seu Bem-Amado Mestre, que havia adoecido e se tornado frágil em seus movimentos, mas cuja luz interior e presença se mantiveram inalteradas. Um mês depois de retornar à Londres, Mooji recebeu a notícia que o Mestre havia entrado em Mahasamadhi*. Sobre isso Mooji declarou: “Aquele princípio que se manifesta como o Mestre está sempre AQUI AGORA. O verdadeiro Mestre nunca morre, é o senhor que morre. O verdadeiro Mestre, aquele Sat Guru* adentro, somente Ele é o Real”.

Mooji continua a viver em Brixton. Atualmente ele administra uma banca de chá indiano 'chai'(Mooji’s Chai Shop) no mercado local, onde aos sábados ele serve chai e vende incensos. Desde 1999 ele tem recebido, duas vezes por semana, pequenos grupos de visitantes e buscadores no seu pequeno apartamento quem vém de todas as partes do mundo à procura de Auto-Conhecimento ~ Jnana*. Mooji viaja várias vezes por ano à Irlanda onde ele conduz Satsangs e retiros.


OM SHANTI


Notes:
* Mooji
A pronúncia do som 'mu' em japonês vem da palavra-raíz chinesa 'wu'significando vazio, nada. 'ji': um termo hindi usado geralmente no final de um nome como um sinal de respeito e afeição. Mooji prefere este nome e som, que já fazem parte de seu nome de família, à seu nome pessoal cristão 'tony'.
* Mahasamadhi
A morte, ou o deixar do corpo físico de uma grande Alma, um evento ocasionado por tremendas bençãos.
* Sat Guru
Um preceptor espiritual da mais alta realização. Aquele que realizou a Verdade última. Também, o Guru interior; O verdadeiro Ser de alguém. O Absoluto impessoal.
* Jnana
"Conhecimento espiritual", sabedoria. Conhecimento do Ser. A sabedoria madura da Alma.
* Sri Ramana Maharshi
Conhecido largamente como um Sábio único do século 20. Sua vida foi um perfeito exemplo de simplicidade, igualdade e equanimidade, nascidos da inalterável experiência do Ser.